• Português
  • Inglês
  • Alemão
(351) 291 146 910
(351) 92 59 75 844
Caminho do Lombo do Salão - Nº 13, 9370-174, Calheta

Socalco Nature Hotel Calheta – Mar à vista

A configuração da propriedade, dividida pelos típicos poios, foi preservada neste agroturismo
criado pelo chefe de cozinha Octávio Freitas, onde a gastronomia madeirense é rainha.

Todos os quartos, distribuídos de forma cirúrgica pelos típicos poios (socalcos) agrícolas da propriedade, oferecem uma paisagem magnífica do profundo azul do Atlântico. Os premium ocupam casas isoladas, como a da gruta, com as paredes rochosas a transmitir a energia vulcânica, ou a da cascata, onde se ouve o som sereno da queda-d’água. A decoração minimalista foi propositada, para
não concorrer com a vista generosa, tendo sido grande parte do mobiliário e da decoração feita na ilha. “Este é o hotel mais madeirense da Madeira!”, defende um entusiástico Octávio Freitas. Quando tudo o resto fechava, o chefe de cozinha, de 39 anos, investia e inaugurava na Calheta, em outubro de 2020, o Socalco Nature Hotel. “Tive uma oportunidade única para me dedicar ao projeto durante vários meses, numa situação normal não o conseguiria”, conta ele que já tem uma carreira consolidada de 25 anos.

O agroturismo nasceu à volta do restaurante A Razão, uma escolha de nome óbvia. “O projeto foi crescendo, eu queria combinar gastronomia, agricultura, alojamento e criar experiências únicas, em que as pessoas pudessem estar em contacto com a Natureza e sentir esta ligação à terra”, explica Octávio. A ampla cozinha, instalada numa torre, é a grand pièce, com vidraças para se apreciar a envolvente e aberta para a sala, permitindo a interação com os clientes. Ali, aposta-se nos produtos típicos madeirenses e da época, muitos vindos da horta do hotel plantada entre as vinhas. Tanto serve uma comida mais moderna, de autor, como terá igualmente uma churrascaria e um forno a lenha, no exterior, “onde não se inventará nada e se respeitará a tradição madeirense”. Durante a semana, para os hóspedes, há atividades culinárias, como a preparação de pão ou de compotas, e refeições privadas preparadas com o chefe, fundador da OF Escola. “A formação é uma das minhas grandes paixões, e este projeto tem uma alma pedagógica”, diz este comunicador nato que já teve rubricas em programas televisivos e de rádio. Por concluir, há ainda a recuperação do lagar antigo e a criação da adega, dentro de uma gruta, onde se farão degustações. Uma oferta arrojada mas também descontraída, que procura envolver quem chega.

08-07-2021 in Visão